quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Polícia encontra três armas no Cerro Agudo

Terça-feira-22 de outubro
Três armas e farta munição foram encontrados pela polícia
Agentes da Polícia Civil de Piratini coordenados pelo delegado Maurício Sampaio, realizaram uma diligência na tarde da Terça-feira, 21, na localidade do Cerro Agudo, 4º distrito, zona rural do município.
A ação foi deflagrada após informações obtidas pela DP local de que uma residência abrigava armas de forma irregular.
Com o mandato de busca e apreensão em mãos, os policiais foram até a moradia em questão e lá encontraram duas espingardas calibre 12, um rifle e uma grande quantidade de munição.
Quando os agentes chegaram a casa o proprietário não se encontrava, o que impossibilitou o enquadramento previsto em lei.
Um inquérito foi instaurado e ao final da investigação o responsável deverá ser indiciado por posse ilegal de arma.
Foto: Polícia Civil

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Castro pede teste de coração em recém nascidos

Terça-feira-21 de outubro
Projeto de Castro tornaria o exame obrigatório no hospital de  Piratini
O vereador Sérgio Moacir Castro, PDT, apresentou na sessão da terça-feira um projeto de Lei que se aprovado permitirá que os recém- nascidos no Hospital Nossa Senhora da Conceição de Piratini passem pelo que ele batizou de “Teste do Coraçãozinho”, ou seja, um exame de oximetria que se somaria aos já existentes para detectar anomalias em bebês nascidos no Centro Obstétrico da instituição.

O teste é capaz de detectar a Hipóxia (falta de oxigênio), o que se constatada com antecedência permite um tratamento eficaz.
Para tal e, em caso de aprovação, o hospital precisará se adequar adquirindo o aparelho que segundo o vereador tem um custo irrisório diante de sua importância: cerca de quatro mil e oitocentos reais.
- Este projeto de Lei se justifica pelo simples fato de que várias doenças podem passar despercebidas no exame de maternidade e só serão detectadas se ocorrer uma busca maior, pois, muitas vezes a criança nasce aparentemente normal, mas no final da primeira semana ou do primeiro mês de vida desenvolve um quadro de choque e não há tempo hábil para o atendimento – explica o parlamentar.

Segundo Castro, uma pesquisa feita por ele apontou que entre 30 e 40% das crianças que tem problemas cardíacos graves recebem alta das maternidades sem o diagnóstico.
- Temos que descobrir no berçário e o primeiro passo sem dúvida é a oximetria – completa.


Taxista reclama falta de manutenção no Invernada

Terça-feira-21 de outubro
Desde agosto ponte aguarda reparo e impede transporte escolar
Encher sacos com cascalho e transporta-los no porta-malas do carro com a finalidade de amenizar a situação da buraqueira que castiga a suspensão do veículo no trajeto diário de dois quilômetros que precisa fazer logo após encerrar o expediente como taxista na cidade, foi à medida adotada por Baltazar Manetti, morador do Passo da Invernada, primeiro distrito de Piratini, diante da inércia da Secretaria de Infraestrutura e Logística que não atende aos inúmeros pedidos iniciados em agosto para que a estrada passe por uma manutenção.

Intransitável e sem acostamento, a vegetação agrava a situação permitindo com isso que apenas um carro trafegue por vez nos dois sentidos.
Para piorar o que já está bastante ruim, a cabeceira da única ponte desmoronou com as enchentes, o que agora também impede que alunos moradores da localidade possam frequentar as aulas já que o transporte escolar por falta de segurança não faz mais o trajeto.

- A cabeceira da ponte está assim desde agosto. Quando pedi ajuda à prefeitura, ouvi  que o conserto seria feito após a semana farroupilha e até agora nada. Pelo telefone tento falar com o secretário da pasta, mas ele não em atende – reclama Baltazar.

O outro acesso à cidade é pelo Cerro do Ubaldo, mas o descaso com trecho de três quilômetros é ainda pior, o que foi comprovado por nossa reportagem ao realiza-lo.
Bueiros arrebentados alagam parte do trecho e valas profundas e de significativa extensão deixam pouco espaço e alternativa para a condução de carros de passeio e impedem totalmente a passagem de veículos pesados onde há produtores de acácia, soja e carvão.




sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Dois morrem em acidente na BR 293 em Piratini

Sexta-feira- 17 de outubro

Duas mortes foram registras em um acidente ocorrido por volta das 08:30 desta sexta-feira no quilômetro 59 da BR 293, quando um Celta da Secretaria de Saúde de Jaguarão e que trazia um paciente para uma consulta no Hospital de Caridade Nossa Senhora da Conceição de Piratini, chocou-se de frente com um caminhão com placas de Dom Pedrito.
Morreram Ariel Martins, paciente de 87 anos, e o condutor do Celta Renato Soares da Silva, 54 anos.

A filha de Ariel, Rosana Martins, 48 anos que acompanhava o pai, ficou gravemente ferida e foi levada por uma unidade do Samu para Pelotas.
O choque fatal para as duas vítimas deixou o carro destruído e o caminhão com a parte frontal esquerda bastante danificada.

Em seu relato à reportagem o motorista do caminhão, Éder Gilberto Langbecker, 49 anos, disse que não entendeu a manobra do outro condutor que trafegava no sentido Pelotas Bagé.
- É uma reta e a visibilidade estava boa, mas de repente ele deu uma guinada no carro e veio na minha direção. Tentei desviar tudo que foi possível, mas não foi o suficiente – contou Gilberto que seguia em direção ao Cassino para buscar uma mudança.

Pelo depoimento de pessoas que ajudaram na tentativa de resgate, às duas vítimas tiveram morte instantânea.

Os corpos ainda permanecem no local aguardando a perícia.
Polícia Civil, Ecosul e Polícia Rodoviária Federal auxiliam na ocorrência.
Foto: Joseane Duarte


quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Mulher diz que apanhou do marido por 30 anos

Quinta-feira- 16 de outubro
Ela é um caso que exemplifica o aumento no número de registros nos casos de violência contra a mulher em Piratini e vive um drama que segundo seu relato ao blog Eu Falei na tarde desta quinta-feira, já dura 34 anos, 30 destes, vividos sob o mesmo teto que o ex- marido de quem há quatro anos se separou.

Regina, (assim vamos chama-la para lhe garantir a não exposição), apanhou novamente no último sábado, 11, quando o então companheiro com quem criou três filhos voltou às agressões após saber que ela havia recorrido à justiça para garantir a pensão no valor de 60% do salário mínimo.
- Ele bateu na porta e, quando eu abri, perguntou se eu havia procurado a justiça para cobrar ele. Assim que eu respondi que sim, pois, já estava entrando para o quaro mês sem que ele fizesse os depósitos, ele me jogou por cima dos móveis e em seguida passou a apertar meu pescoço – conta à vítima que está sob medida protetiva deferida pelo judiciário.

- Ao relembrar uma das surras, a que levou logo a seguir a separação, ela conta que fugir foi à saída para cessar a agressão.
- Depois de ele me bater de todos os jeitos, quebrou o espelho do armário do banheiro e com um pedaço do vidro queria me cortar. Acredito que naquele dia se eu não tivesse fugido eu corria o risco de ele acabar comigo como já ameaçou fazer uma vez caso eu acionasse a polícia – relata Regina, que durante o período de separação morou dois anos em Pelotas e, afirma ela, nem assim as surras cessaram.

- Em Pelotas ele me bateu duas vezes o que me fez registrar queixa na Delegacia da Mulher e, numa outra vez fiquei por um bom tempo com a costela dolorida depois de uma surra. Por já ter apanhado e prestado tantas queixas, não quis dizer ao médico a causa e muito menos procurar a polícia – amplia.

Na última terça-feira, após a agressão, ela e o ex-marido de 53 anos se encontraram na sala de audiências para tentar um acordo quanto ao pagamento dos valores atrasados, mas, segundo conta, mesmo tendo ficado registrada a promessa da quitação do débito em três parcelas, sendo uma no dia seguinte, a conta bancária continua zerada