sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Salário de vereadores é elevado para R$ 4.640

Sexta-feira-27 de fevereiro
Acréscimo segue o índice de reposição salarial dos funcionários públicos
Os salários para exercer um mandato de quatro anos no legislativo piratiniense mudaram a partir deste mês.

Com a aprovação na última terça-feira ao final da sessão ordinária do Projeto de Lei 1590/2015, de autoria do executivo, os nove parlamentares das quatro bancadas que formam a Câmara de Vereadores, tiveram incorporado ao então salário, o reajuste de 6% , índice referente à reposição salarial que foi concedida ao funcionalismo público, o que ocorre anualmente.

Com a concessão, o salário de vereador passou para R$ 4.640, 54 (Quatro mil seiscentos e quarenta reais com cinquenta e quatro centavos).

Já a chamada Verba de Representação do Presidente, torna o exercício da função bem mais atrativo.

Como presidente da casa para o ano de 2015, Lourenço de Souza, do Partido dos Trabalhadores, tem acrescentado ao valor mencionado acima mais R$ 2.320, 26, totalizando mensalmente R$ 6.960, 80.

Os valores são brutos, não estando portanto incluídos os descontos previstos em lei.

Secretaria de Educação cancela retorno às aulas

Quinta-feira-27 de fevereiro
Sem combustível para movimentar a frota, a saída foi adiar o retorno
Oficialmente, a Secretaria Municipal de Educação ainda não informou através de nota distribuída à imprensa, que está suspenso o retorno às aulas previsto pra a próxima segunda-feira, 02 de março.

A informação foi confirmada por nossa reportagem na metade desta manhã, e o não retorno é claro, é devido à falta de óleo diesel nos postos fornecedores do produto na cidade necessário para abastecer a frota que realiza o transporte de centenas de alunos pelos sete mil quilômetros de estradas rurais de Piratini.

Como a secretária de educação local Rosana Maneti não pode atender a imprensa devido à reunião que tratava do assunto, não foi possível saber quantos alunos serão atingidos pelo problema, assim, como, a quantidade de veículos que formam a frota para este fim.
Está garantido apenas o retorno das atividades nas escolas de educação infantil já que estas estão localizadas no perímetro urbano.

Com a decisão, os estudantes que residem na zona rural e cursam  o ensino médio no Instituto de Educação Ponche Verde, educandário da rede estadual que já retomou às atividades, já começam o ano letivo no prejuízo, pois dependem do transporte fornecido pela prefeitura.

Segundo Maria Lúcia Corral, diretora do Ponche Verde, o conteúdo para eles será recuperado, mas, ela admite que se a falta de combustível se estender, o acúmulo de matérias já repassadas aos presentes em sala de aula é um complicador. Quanto ao abono das faltas, a solução é a mesma usada em casos similares e anteriores.
- A prefeitura fornece um atestado como ocorre, por exemplo, quando acontecem enchentes e o documento justifica a falta deles – explica.

 Lúcia não soube dizer exatamente quantos alunos do interior cursam a escola, mas admite uma redução que teve início há dois anos.
- Com a inauguração da Escola Adão Preto no quinto distrito e a implantação do ensino médio na Carmosina Vaz Guimarães, no terceiro, hoje temos um pouco mais de 200 que aqui estudam – quantificou.









APAE lança campanha para novos sócios

27/02/2015 

 A atual situação das APAES no Brasil hoje não é das mais fáceis, mesmo com o importante trabalho que exerce juntos aqueles que possuem algum tipo de deficiência.

Em Piratini, a situação enfrentada também é dificultosa, mas com a boa vontade de um grupo de pessoas que lutam pela causa, muitas coisas tem melhorado para a associação.

Pela falta de reajuste nos repasses da Prefeitura de Piratini e também do Governo do Estado, a APAE resolveu reativar a campanha de sócios onde podem contribuir com valor a partir de R$ 10,00. Os interessados devem entrar em contato com a escola, pelo número 3257-1700. Haverá uma pessoa para realizar as cobranças.

A APAE de Piratini hoje é referência em atendimento para deficiência mental e autismo, atendendo mais de 80 alunos pelo SUS que podem ser de Piratini, Pinheiro Machado, Pedras Altas, Cerrito, Santana da Boa Vista e Herval.

A diretora da APAE de Piratini, Kátia Ulguim agradece a todos que sempre ajudam à entidade e afirma que e bom quando a gente pode colaborar e não necessita desse serviço.
Com as informações: Rádio Nativa

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Gasolina: mais nove mil litros devem terminar hoje

Quinta-feira- 26 de fevereiro
Filas e até mesmo garrafas e galões para garantir um pouco de gasolina
A situação ocasionada pelos protestos de caminhoneiros também pelas estradas do Rio Grande do Sul, e que inclusive deixou os postos de gasolina de Piratini desabastecidos, foi amenizada nessa quinta-feira com a chegada de nove mil litros de gasolina em um posto localizado na Rua Borges de Medeiros, o que ocasionou novamente uma enorme fila onde inclusive, garrafas e pequenos galões plásticos foram usados para garantir ao menos uma pequena quantidade do produto.

Mas, para que o combustível que foi colhido em Esteio chegasse à cidade, foi preciso que o motorista do caminhão pegasse atalhos por estradas de chão batido em quatro cidades: Camaquã, São Lourenço e Cristal, concluindo seu percurso pela ERS 265 que liga Canguçu a Piratini.

Segundo o empresário Alexandre Borges, proprietário da abastecedora, ao chegar a Pelotas, na BR 116, o maior dos entraves. Caminhoneiros impediram a passagem do veículo, o que só foi resolvido devido à intervenção de agentes da Polícia Federal que fortemente armados abriram caminho.
- Foi difícil chegar aqui. Não sei se conseguiremos outro carregamento e o que foi trazido acredito que não seja suficiente para um dia – disse Borges, contando ainda que ameaças foram feitas ao motorista.

A empresária Karina Farias, que atua no ramo, disse que  em um dos postos da família há uma reserva de gasolina que pode ser considerada insignificante, apenas 200 litros, para a frota da prefeitura e para a viatura da Brigada Militar e, com a mesma finalidade, 1.500 litros de óleo diesel, o que diante da volta às aulas que ocorrerá na próxima segunda-feira, pouco resolve.

No outro posto da mesma empresa localizado na Maurício Cardoso, além da gasolina, o diesel também já terminou.

No setor supermercadista, já é possível sentir o problema. Segundo a empresária Márcia Weege, ontem, quarta-feira, não havia frutas. O estoque do supermercado foi reabastecido nessa manhã.
- Há uma grande disputa pelos alimentos na CEASA em Pelotas. Todos correm para garantir os produtos – relata.

Pela expectativa e experiência da empresária, se os protestos continuarem por mais cinco dias alguns alimentos começarão a faltar.
- Farinha, ovos, leite e tomate fazem parte desta lista – alerta.

E os preços já começaram a subir. O quilo do tomate saltou de R$ 3.15 o quilo pra R$ 3.95. O ovo em sua versão solta, já está R$ 5.40 a dúzia e o embalado, R$ 6.30.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Acidente e caçamba da prefeitura é apreendida

Quarta-feira- 25 de fevereiro
Caçamba não causou o acidente, mas, estava com a documentação atrasada
Os últimos litros de gasolina de um posto localizado na Avenida Maurício Cardoso, fez com que, mesmo passando das 21hs, um congestionamento que tinha fim no Estádio Nei Fabião Valente, o Guarani, se formasse na espera e esperança de encher o tanque.

Com a via no sentido bairro/centro congestionada, o trânsito ficou confuso e o condutor José Carlos Peroba, 62 anos, acabou causando um acidente onde os danos foram apenas materiais.

Segundo várias testemunhas, José estava com seu automóvel Kadet parado junto ao meio fio, esperando uma brecha na fila para seguir em frente. Quando resolveu sair, bateu lateralmente em uma caçamba da Prefeitura Municipal de Piratini. O choque foi com a roda direita do veículo de carga.
O condutor se defendeu:
- A caçamba estava parada e por isso tentei sair da vaga, mas, neste mesmo momento ela também andou e aconteceu a batida – relata.

Com o acionamento da Brigada Militar para atender a ocorrência, prejuízo também para a prefeitura que terá um veículo a menos para os serviços cotidianos.

Ocorre que, ao verificar a documentação da caçamba, os policiais constataram que a mesma está com a documentação vencida há um ano.

Diante da infração, ela foi recolhida ao pátio da corporação e será levada para um depósito do DETRAN em Canguçu.