terça-feira, 16 de setembro de 2014

Cantora cega encanta na Ronda do Piquete 35

No Centro de Eventos Erni Pereira Alves, a ronda tradicionalista do dia 16 esteve a cargo dos piquetes Resto de 35, Rodeio do Paraíso, do Rotary Clube e do CTG Negrinho do Pastoreio.
Além de uma invernada do Rio de Janeiro, as entidade citadas marcaram sua guarnição da Chama Crioula com a jovem Natália Guastuci Witte que, diante de sua limitação tem números que impressionam se a deficiência visual com a qual já nasceu for levada em conta.
Ela relataque desde os quatro anos e, até os 10, se considerava uma cantora de ônibus, ou seja, nas viagens, deslocamentos pela cidade ou para a escola, dedicava um tempinho para o pagode, música sertaneja e também para canções internacionais cantando mesmo sem estudar inglês, com perfeição músicas de Bruno Mars e de Adelle.

Foi quando em 2012, em meio a uma consulta com seu dentista e instrumentista Léo Pereira Filho, Natália cantarolou para ele que encantado com a voz da menina a levou para o tradicionalismo fazendo com que participasse do Festival Canto Moleque, de Candiota.

A mudança repentina da filha fez seu pai, Gomercindo Vieira passar a usar bota, bombacha e lenço para acompanha-la em apresentações em Rio Grande, onde vive a família e em outros eventos do gênero na região.

Ainda de impressionar, foi à capacidade que ela demonstrou ao seu professor, o instrumentista Luís Carlos, do Grupo Querência, em dedilhar os inúmeros botões de uma gaita e, em apenas dois meses de ensinamento já tocar e cantar duas músicas, uma delas, História dos Passarinhos do saudoso Gildo de Freitas.


Com tantos atributos a jovem cantora foi muito requisitada para apresentações pelos veículos de comunicação de Piratini e marcou sua passagem pela Semana Farroupilha.

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Colisão frontal na 293 mata empresário pinheirense

Segunda-feira-15 de setembro
Choque fez com que o Tempra se partisse em dois
Uma tragédia ceifou a vida do empresário da noite e há décadas dono de casa noturna em Pinheiro Machado, Celso Ferro, 72 anos, (foto abaixo) que teve seu automóvel Tempra partido em dois ao colidir frontalmente com uma Camioneta S10 entre 12:30 e 13hs desta segunda-feira na BR 293 nos limites de Piratini.
A batida foi no quilômetro 64.1 da rodovia e o choque fez com que o corpo do empresário fosse jogado por cima do guarda corpo da estrada causando nele morte instantânea.
Carlos Henrique Gadea, 49 anos, teve seu impacto com o volante amenizado pelo air bag, o que certamente junto com a utilização do cinto de segurança  impediu que ele também fosse arremessado no asfalto.

A frente da S10 ficou totalmente destruída e seu condutor foi levado por uma ambulância da ECOSUL para Pelotas não sendo possível saber seu estado de saúde.
Segundo um dos agentes da Polícia Civil, ele ainda teve tempo de relatar que o Tempra rodopiava em cima da pista até colidir com seu veículo.
No local, nossa reportagem conversou com Paulo Ferro, filho da vítima fatal, que contou o motivo da viagem do pai à Pelotas e a provável causa do acidente.
- Ele ia para uma consulta e realização de prováveis novos exames de coração. Antes de ele sair o cano da descarga caiu e eu aproveitei para pedir que trocasse ao menos os pneus traseiros que estavam totalmente carecas. A resposta dele é que no retorno da viagem faria isso – contou Paulo que é um dos três filhos que Celso deixa.


domingo, 14 de setembro de 2014

Uma Festa gaúcha que se firma a cada ano

Domingo- 14 de setembro
Milhares superlotam na segunda noite
Na terra natal de Barbosa Lessa o nativismo está presente no cotidiano dos moradores da 1ª capital farroupilha. A bombacha é peça obrigatória no guarda-roupa desde a infância e o chimarrão desfila de mão em mão mesmo no ambiente de trabalho e independente da profissão.
A cuia, a bomba e a térmica estão no ponto de táxi, no balcão entre os comerciários, no passeio sem pretensão, durante a preparação das refeições e nas tardes e noites de lazer na Praça Inácia Machado da Silveira, onde a enorme cuia que fornece água quente em tempo integral sintetiza a paixão pelo costume do pago que é berço da tradição.

“E quando setembro vem chegando, se aprochega a gauchada, Piratini te espera com rodeio e carne assada”, é apenas mais um verso entre tantos que colocam a Semana Farroupilha aqui promovida entre as maiores do Estado.
O centro de Eventos Erni Alves, homenagem póstuma dada a outro símbolo do regionalismo do garrão do Brasil e orgulho para quem nasceu em Piratini, fervilhou este ano durante nove dias.

Para onde a vista alcançou, um vai e vem frenético de milhares de pessoas vindas de vários rincões para apreciar a infinidade de atrações ofertadas pelo evento aguardado com grande expectativa durante toda a primeira metade do ano.

Uma estrutura elogiável sob todos os aspectos e que a cada edição se amplia, aumentando também  a responsabilidade da comissão organizadora.
Mano canta o regionalismo do Garrão do Brasil
Mano Lima retornou, cantou e foi ovacionado
De todas as noites de programação para o Palco do Rio Grande onde as estrelas contratas se apresentam, quando o cardápio de artistas foi divulgado já foi possível detectar que a segunda seria a mais esperada. E assim foi. Ênio Medeiros e Délcio Tavares foram coadjuvantes de luxo para que Mano Lima levasse milhares ao êxtase quando voltou a ser contratado para a festa depois de ter deixado uma lacuna em 2013 que precisava novamente ser preenchida.

E foram tantos Sapucai, grito festivo e campeiro emandos pela massa, que ele ao finalizar a primeira canção elogiou:
- É uma alegria voltar cantar pra vocês. Ano passado não vim e Semana Farroupilha sem Piratini pra mim não é completa. Por isso, esse ano botei a mão na rédea e o pé no estrivo, campieie a volta, alteei a perna e saltei pra cima e agora me apresento voluntário na capital farroupilha-
Com o verso improvisado foi novamente ovacionando mantendo o a animação por uma hora e quinze minutos, tempo que durou o show e a energia emanada do chucrismo campeiro contido em suas letras que fazem quem conhece um pouco da lida do campo se identificar com o que é cantado pelo artista.

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Operação Brado prende quatro por tráfico

Sexta-feira-12 de setembro
Bandidos foram encontrados em um chalé na Avenida Perimetral
Uma volumosa operação com 17 integrantes envolvendo agentes das DP'S de Pedro Osório, da Homicídios e Defrec de Pelotas, além do Pelotão de Operações Especias -POE, e policiais da Brigada Militar pelotense e também Piratini, participaram de uma ação conjunta ao amanhecer da sexta-feira, 12.

Segundo a DP de Piratini a cerca de um mês os moradores de um chalé localizado na Avenida Perimetral, geraram uma nova possibilidade para usuários de maconha e cocaína na região satisfazerem seu vício.

O trio de traficantes foi monitorado pela Polícia Civil local que, em tendo a notícia de que hoje os traficantes estariam abastecidos deflagrou a Operação Brado.
Três residências foram alvo da atividade onde foram cumpridos mandados de busca e apreensão expedidos pela Vara Judicial local.

 O terreno situado em frente ao chalé e, ao lado da escola Rui Ramos, era utilizado como depósito das drogas. Os cães farejadores foram os responsáveis pela localização dos entorpecentes.

Com a informação de que os produtos ilícitos estariam no terreno, os PM's rumaram para o local e logo um dos  cães utilizados, de nome Sadam, achou a prova do crime.

. Foram encontradas 89 gramas de maconha em tabletes separados e prontos para a venda e 12 embalagens de cocaína. Na segunda residência, que já havia sido alvo de buscas em outra oportunidade, foram localizadas três petecas de cocaína.

O morador da residência, o menor  C.D, que estava na companhia de Maurício Hessel, o Rato, quando este foi preso em Pelotas a cerca de um mês, será autuado em procedimento de adolescente infrator.

As pessoas localizadas na casa foram: Felipe de Freitas Borges, Marlon Rocha de Souza e Altênia Maia Lima. Felipe é investigado por um duplo homicídio praticado em Pelotas no dia 04 de julho deste ano e escolheu Piratini como refúgio.

Além disso, ele tem várias passagens por tráfico e porte ilegal de arma. Segundo os agentes trata-se de elemento perigoso, frio e que pertence ao bando do Dioninha, de Pelotas, uma das facções que comanda o tráfico naquela cidade. Marlon tem passagem por tentativa de homicídio também em Pelotas.   

Colaboração para o texto e foto: Polícia Civil de Piratini

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Chama:Centelha da tradição chega à Piratini

Quinta-feira-11 de setembro
Depois de cinco dias e 120 quilômetros, a centelha foi entregue à organização
Depois de cinco dias no lombo do cavalo, tempo necessário para partir de Herval e fazer 120 quilômetros, chegou à Piratini nesta quinta-feira, a cavalgada que conduziu a centelha responsável por marcar o inicio dos festejos farroupilhas na cidade que por sua história é chamada de Pátria de Bombachas.
Às 17hs, 54 cavalarianos entraram na Avenida Maurício Cardoso para cumprir a última etapa desta missão que traduz a tradição gaúcha.

A centelha foi entregue ao organizador da Semana Farroupilha de Piratini, Humberto Porto e esta noite permanecerá sob a guarda da Brigada Militar para amanhã ser levada ao Centro de Eventos Erni Pereira Alves que abrigará nove dias de atrações artísticas.

Entre os cavalarianos, um recordista. Luís Alberto da Rosa Reis, 45 anos, novamente a exemplo do  que ocorreu ano passado, foi um dos responsáveis pelos pavilhões postados à frente dos demais.
Ao conduzir a bandeira do Estado
ele dava fim a sua 26º edição de condução de chama.

Depois de muito carreteiro, tertúlia de gaita e violão, jogo de truco e de vez em quando um trago de canha pra molhar o peral da goela, como canta em prosa e verso Walter Moraes em "Coisas do meu mundo de peão", o pecuarista não soube bem definir o que o move a manter a aventura regada a sacrifícios  causados por exemplo, pela chuva, mas, de puro prazer por manter viva as coisas do pago sulino.

- Não consigo encontrar palavras que traduzam este amor pela tradição e pelo Rio Grande. É o que nos leva a fazer tamanho esforço- limitou-se  dizer.